Omagio a Eikoh Hosoe, de Cicchine

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Poema pra ele

Seu mundo é redondo
mais redondo do que o das pessoas tidas como normais.
ele gira e gira
e a isto ele chama de sonho.

Já não é mais um menino
viveu os verões mais frios
e os invernos mais aquecidos
e a isto ele chama de vida.

Entre linhas tortas e belas
suas estórias se compõem
seu mundo preto e branco.

Sonhos e medos e desejos
em um rosto de menino
e uma mente de homem.

Ele me instiga de um jeito puro
e indescente.
se ele me chama, eu corro
se ele não vem, eu vou
e se ele quer, eu quero mais.

E eu quero, mais do que sempre,
congelar-te e mesmo assim
deixar-te viver
no preto e branco de nunca.

Danieli Buzzacaro29/05/07

2 comentários:

Eric disse...

meu, ameii!
muito foda guria!
continua escrevendo assim! =)

Fernando Belucci disse...

Existe a partir de uns anos pra cá um sentimento, ele ainda não tem nome. Não é amor, não é paixão, é uma espécie de carinho, mas ainda sim naum tem nome. Seria isso?